Textos para leitura

Plano de curso (versão PDF aqui)

Ementa:
Discussão acerca dos aspectos metodológicos e da importância dos métodos de pesquisa para o trabalho acadêmico em Música, enfatizando as conexões entre o conhecimento técnico-profissional e os demais campos do conhecimento em Música. Abordagem da sistemática geral da pesquisa, focalizando a definição do objetivo/problema, da contextualização teórica e da elaboração de projetos de pesquisa. Revisão da literatura sobre técnicas de coleta de dados, sistematização, análise e apresentação de resultados.

Sistemática das aulas:

– Leitura e discussão de textos;

– Apresentação e comentário de trabalhos

Organização do curso

Obs.: Cada unidade abordará os temas indicados por meio da leitura de textos diversos ao longo das aulas que compreendem a referida unidade, e não aula a aula.

Unidade 1: do projeto à pesquisa

– levantamento bibliográfico

– balanço bibliográfico e fortuna crítica

– escrutínio de fontes e documentos

– escrita acadêmica

Unidade 2: método e teoria

– tipos de pesquisa

– indução e dedução

– o que é teoria; formas de lidar com ela

– campos disciplinares

– análise, crítica, performance e história

Unidade 3: de volta à pesquisa

Esta seção do curso visa a experimentar com as questões trazidas nas unidades 1 e 2, ocupando-nos dos interesses de pesquisa da turma.

Avaliação:

Serão três notas no total. A primeira avaliação consistirá na apresentação e condução da discussão de um dos textos do curso durante a aula. A segunda nota resultará da apresentação em sala de trabalho sobre tema de livre escolha, mas preferencialmente baseado no próprio projeto de pesquisa. A terceira avaliação consistirá no comentário, feito também em sala, oralmente, ao trabalho apresentado por algum colega.

Bibliografia:

Antokoletz, Elliott. The Music of Belá Bartók: A Study of Tonality and Progression in Twentieth-Century Music. 1. paperback printing. Berkeley, Calif.: Univ. of Calif. Press, 1989.

________. Twentieth-century music. Englewood Cliffs, N.J: Prentice Hall, 1992.

Araújo, Samuel; e Salgado e Silva, José Alberto. “Musical Knowledge, Transmission, and Worldviews: Ethnomusicological Perspectives from Rio de Janeiro, Brazil” in: The World of Music, 51(3) Ethnomusicology in the Academy: International Perspectives, 2009: 93-110.

Barth, Fredrik. “Grupos étnicos e suas fronteiras” in: O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Organizado por Tomke Lask. Rio De Janeiro: Contra Capa, 2000.

Becker, Howard Saul. Art Worlds. 25th anniversary ed., Updated and expanded, [Nachdr.]. Berkeley, Calif.: Univ. of California Press, 2011.

_____. Outsiders: estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2009.

_____. Segredos e truques da pesquisa. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

Bent, Ian e William Drabkin. Analysis. London: Macmillan, 1987.

Born, Georgina, e David Hesmondhalgh, orgs. Western music and its others: difference, representation, and appropriation in music. Berkeley: University of California Press, 2000.

Bourdieu, Pierre. A Produção da Crença. Porto Alegre: Zouk, 2006.

_______. La Distinction. Paris: Les Éditions de Minuit, 1979.

_______. Les règles de l’art: genèse et structure du champ littéraire. Nouv. éd., Revue et corrigée. Points Essais 370. Paris: Éd. du Seuil, 2009.

Clifford, James. A Experiência Etnográfica. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2008.

Chueke, Zelia, org. Leitura, escuta e interpretação. Curitiba: Ed. UFPR, 2013.

Cook, Nicholas. Guide to Musical Analysis. New York, N.Y.: W.W. Norton, 2002.

Cunha, Manuela Carneiro da. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo, SP: Cosac Naify, 2009.

Dahlhaus, Carl. Between Romanticism and Modernism, Four Studies in the Music of the Later Nineteenth Century: Includes the Nietzsche Fragment “on Music and Words” Translated by Walter Kaufmann., 1989.

_______. Fundamentos de la historia de la música. Barcelona: Gedisa, 2003.

DeNora, Tia. After Adorno: rethinking music sociology. Cambridge ; New York: Cambridge University Press, 2003.

DeNora, Tia. Beethoven and the Construction of Genius. Berkeley e Los Angeles: University of California Press, 1997.

______. “How is Extra-Musical Meaning Possible? Music as a Place and Space for ‘Work’” in Sociological Theory, Vol. 4, No. 1 (Spring, 1986), pp. 84-94.

Durkheim, Émile. Les règles de la méthode sociologique. Nouv. éd. Champs 879. Paris: Flammarion, 2010.

Elias, Norbert. Mozart: sociologia de um gênio. Organizado por Michael Schröter. Traduzido por Sérgio G. de Paula. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

Elias, Norbert, e John L. Scotson. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Traduzido por Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

Fernandes, Dmitri Cerboncini, e Carlos Sandroni, orgs. Música & Ciências Sociais: para além do descompasso entre arte e ciência. 1o ed. Curitiba: Prismas, 2016.

Forte, Allen. The Structure of Atonal Music. Nachdr. New Haven: Yale Univ. Press, 1980.

Koselleck, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006.

Gadamer, Hans-Georg. O problema da consciência histórica. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.

Ginzburg, Carlo. Mitos, emblemas, sinais morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

Goldenberg, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. Rio de Janeiro; São Paulo: Record, 1997.

Gumbrecht, Hans Ulrich. Produção de Presença. Rio de Janeiro: Contraponto, Editora PUC-Rio, 2010.

Hatten, Robert S. Interpreting musical gestures, topics, and tropes: Mozart, Beethoven, Schubert. Musical meaning and interpretation. Bloomington: Indiana University Press, 2004.

Hennion, Antoine. La passion musicale: une sociologie de la médiation. Èd. revue et corrigée. Sciences humaines. Paris: Ed. Métailié, 2007.

Kostka, Stefan M. Materials and techniques of twentieth-century music. 2nd ed. Upper Saddle River, N.J: Prentice Hall, 1999.

Kuper, Adam. Cultura: a visão dos antropólogos. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

Latour, Bruno. Changer de société, refaire de la sociologie. Traduzido por Nicolas Guilhot. Paris: Editions La Découverte, 2007.

_____. Politiques de la nature: comment faire entrer les sciences en démocratie. La Découverte poche Sciences humanines et sociales 166. Paris: La Découverte, 2008.

Maisonneuve, Sophie. L’invention du disque 1877-1949: genèse de l’usage des médias musicaux contemporains. Paris: Archives contemporaines, 2009.

Mannheim, Karl. Essays on the Sociology of Knowledge. Organizado por Paul Kecskemeti. New York: Oxford University Press, 1952.

Monelle, Raymond. The sense of music: semiotic essays. Princeton, N.J: Princeton University Press, 2000.

Moraes, José Geraldo Vinci de, e Elias Thomé Saliba, orgs. História e música no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010.

Napolitano, Marcos. A síncope das ideias: a questão da tradição na musica popular brasileira. História do povo brasileiro. São Paulo: Editora Fundação, Perseru Abramo, 2007.

Nettl, Bruno. The study of ethnomusicology: thirty-one issues and concepts. New ed. Urbana: University of Illinois Press, 2005.

Passeron, Jean-Claude. Le raisonnement sociologique: un espace non poppérien de l’argumentation. Nouv. éd. rev. et augmentée. Bibliothèque de “L’évolution de l’humanité” 50. Paris: Michel, 2006.

Prins, Gwyn. “História Oral” in: Burke, Peter, org. A Escrita da Historia: novas perspectivas. São Paulo: Unesp, 1992.

Rosen, Charles. The classical style: Haydn, Mozart, Beethooven. Expanded ed., Norton paperback. New York, NY: Norton, 1998.

Seeger, Anthony. Por que cantam os Kisêdjê: uma antropologia musical de um povo amazônico, 2014.

Skinner, Quentin. Visions of politics. Vol. 1: Regarding Method. 3 vols. Cambridge ; New York: Cambridge University Press, 2002.

Straus, Joseph Nathan. Introduction to post-tonal theory. 2nd ed. Upper Saddle River, N.J: Prentice Hall, 2000.

_____. Remaking the past: musical modernism and the influence of the tonal tradition. Cambridge, Mass: Harvard University Press, 1990.

Tagg, Philip. “Popular Music Studies versus the ‘Other’” in: Music and Life-world. Otherness and Transgression in the Culture of the 20th Century. Lisboa> Universidade Nova de Lisboa, 1996.

Travassos, Elizabeth. Os mandarins milagrosos: arte e etnografia em Mário de Andrade e Béla Bartók. Coleção Antropologia social. Rio de Janeiro: Ministério da Cultura, Funarte : J. Zahar Editor, 1997.

Thompson, E. P. “Folclore, antropologia e história social” in: As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas, SP. Editora da Unicamp, 2001.

Treitler, Leo. Reflections on musical meaning and its representations. Musical meaning and interpretation. Bloomington: Indiana University Press, 2011.

Veyne, Paul. Comment on écrit l’histoire: texte intégral. Nouv. éd. Points Histoire 226. Paris: Ed. du Seuil, 1996.

Walser, Robert. “Out of Notes: Signification, Interpretation, and the Problem of Miles Davis” in: Musical Quarterly, 77-2, 1993, pp. 343-365.

Weber, Max. Ciência e política: duas vocações. Traduzido por Leônidas Hegenberg, 2011.

_____. Os fundamentos racionais e sociológicos da música. São Paulo: Edusp, 1997.

White, Hayden V. Meta-história: a imaginação histórica do século XIX. São Paulo (SP): EDUSP, 2008.